Preço da cesta básica deve ficar estável

O preço da cesta básica continuará estável até o fim de 2000, mas ficará em um dos níveis mais elevados desde o Plano Real: em torno de R$ 140,00. O coordenador-geral de Produtos Agrícolas da Secretaria de Acompanhamento Econômica (Seae), Eduardo Leão, afirmou que não deve haver novas altas. As pressões sobre os principais itens da cesta, como carne bovina, leite e frango, não serão tão fortes quanto as registradas no terceiro trimestre do ano. Em reunião no fim do mês passado, os integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom) avaliaram que a tendência de alta de preços se esgotaria e não repercutiria negativamente nos índices de inflação até o fim de outubro. O Boletim Mensal de Acompanhamento da Cesta Básica e Abastecimento divulgado ontem foi elaborado com base na pesquisa Procon/Dieese, que monitora o custo da cesta básica na cidade de São Paulo. O documento informa que o custo médio atual da cesta ficou 13,26% mais alto na comparação com setembro deste ano e de 1999.A projeção feita pelo coordenador é a de que, em janeiro, os preços dos itens da cesta básica recuem, principalmente por causa da antecipação da safra agrícola. Leão explicou que, com as chuvas ocorridas neste ano, os agricultores adiantaram o plantio, reduzindo o período de entressafra. Com a maior oferta, o preço dos produtos agrícolas cai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.