carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Preço da gasolina e do etanol deve cair mais, diz BR Distribuidora

 Na semana passada, a BR repassou uma queda de 6% no valor da gasolina e 13% no etanol

Kelly Lima, da Agência Estado,

18 de maio de 2011 | 18h09

O presidente da BR Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, afirmou há pouco que são esperadas novas reduções nos preços da gasolina e do etanol com o avançar da safra de cana-de-açúcar. Ainda neste mês de maio e ao longo de todo o mês de junho, a BR, assim como outras distribuidoras deverão repassar para seus preços a redução que houver no preço do etanol. Por ter mistura de 25% de etanol em seu conteúdo, a gasolina é afetada diretamente.

Ele não quis comentar quais são as expectativas de queda dos preços. Na semana passada, a BR repassou uma queda de 6% no preço da gasolina e 13% no etanol.

"Existem no Brasil dois tipos de gasolina. A gasolina A que é vendida na refinaria e a gasolina C, que tem 25% de etanol. O que aconteceu no país é que a safra da cana termina em dezembro e o país acaba tendo um combustível que não é produzido 100% do ano. A queda na produção deste combustível fez com que os preços do etanol subissem, não só o hidratado - que vai direto na bomba - quanto o anidro, que é misturado na gasolina", explicou em entrevista após participar do Fórum Reis Veloso no Rio, destacando que os preços da gasolina aumentaram apenas por conta disso.

Indagado sobre a eventual pressão que a BR teria sofrido do governo federal para antecipar a queda do preço da gasolina e do etanol, Lima desconversou e disse que "o preço só subiu porque as usinas subiram o preço do etanol, e só caiu, porque houve redução do preço repassado pelas usinas". Na semana passada, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse à imprensa que faria pressão junto à BR Distribuidora para forçar uma queda de preços, já que a safra da cana havia começado e o reflexo na bomba de combustível ainda era insignificante.

Lima também comentou que não é correta a afirmação da Federação Nacional dos Revendedores de Combustíveis (Fecombustíveis), de que a queda do preço da gasolina e do etanol vendido pela BR era maior do que nos demais postos.

"Se olhar um gráfico dos preços médios do álcool anidro, é possível verificar que o litro estava a R$ 2,80 duas semanas atrás e na semana que a BR anunciou a redução de seus preços, já estava em R$ 1,60 na média dos postos do país", disse.

Segundo ele, a companhia já está verificando um retorno dos consumidores ao consumo de etanol neste mês de maio. Antes da alta de preços, em dezembro do ano passado, disse, a proporção era de 75% das vendas para gasolina e 25% para o etanol. Entre os meses de janeiro e abril, houve um fluxo migratório forte dos consumidores de etanol para a gasolina, que fez com que a proporção chegasse a 93% das vendas para gasolina e 7% para etanol. "Agora já estamos verificando que a proporção de vendas de gasolina esteja abaixo de 90%. Isso deve se normalizar nas próximas semanas", comentou. 

Tudo o que sabemos sobre:
gasolinaetanolBRcombustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.