Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Preço da gasolina se iguala ao dos EUA

Equivalência leva à diminuição da pressão para que a Petrobrás reduza internamente o preço do combustível

Nicola Pamplona, RIO, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2009 | 00h00

A proximidade do verão no Hemisfério Norte eliminou a diferença de preços entre a gasolina brasileira e a negociada nos Estados Unidos, usada como parâmetro para a política de preços da Petrobrás. Segundo cálculos feitos por analistas a pedido do Estado, a defasagem, que já chegou a 60% este ano, não existe mais, o que reduz a pressão por redução nos preços internos.Anteontem, a gasolina americana era negociada por US$ 1,8716 o galão, o equivalente a R$ 0,9866 por litro, diz executivo de uma empresa especializada em trading de combustíveis. Somando o custo de trazer o produto ao País, o preço chega a R$ 1,05 por litro - R$ 0,04, ou 3,66%, menos que o valor de venda das refinarias da Petrobrás, de R$ 1,09 por litro.Em fevereiro, quando o petróleo rondou a casa dos US$ 40 por barril, a gasolina brasileira chegou a ficar 60% mais cara que a dos EUA, já que a Petrobrás não repassou a queda do preço do petróleo após o agravamento da crise. Na época, houve grande pressão para que a estatal reduzisse os preços internos, mas a companhia alegou que era cedo para dizer que o mercado internacional havia atingido novo nível.Nas últimas semanas, o petróleo disparou para acima dos US$ 65 por barril. O movimento é sazonal e acompanha a expectativa de maior demanda por gasolina no verão americano, em um período conhecido como "driving season" - temporada em que as viagens de carro se intensificam. Segundo analistas, o ritmo de alta do preço da gasolina é ainda maior do que o das cotações do petróleo.O mercado não espera, portanto, nenhuma alteração no preço da gasolina no curto prazo. Já o preço do diesel continua com grande defasagem em relação ao mercado internacional, uma vez que não é afetado pela "driving season". Pelo contrário, as cotações do produto costumam subir perto do fim do inverno, uma vez que se trata do principal combustível utilizado para calefação.Além disso, o mercado internacional de diesel é fortemente influenciado pela demanda europeia, que foi muito abalada pela crise financeira. A diferença de preços entre o diesel brasileiro e o internacional vem permitindo a realização de importações por empresas privadas brasileiras, diz uma fonte do setor, destacando que se tornaram comuns os desembarques do produto nos portos de Santos e de Paranaguá.O último reajuste nos preços da gasolina e do diesel foi promovido em maio do ano passado, quando o petróleo situava-se em torno dos US$ 115 por barril. Na ocasião, a Petrobrás aumentou em 10% a gasolina e em 15% o diesel. NÚMEROSR$ 1,05 é o custo médio do litro do petróleo americano que chega ao Brasil 3,36% é a diferençade valor atual entre o preço do litro das refinarias da Petrobrás e o do litro que chega dos EUA60% foi quantoa gasolina brasileira chegou a ficar mais cara que a dos Estados Unidos, após a crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.