Preço das verduras e legumes despenca e o tomate não é mais aquele

Depois de motivar boicote e inúmeras piadas na internet em abril, tomate ajuda a derrubar a inflação em maio

Economia & Negócios,

07 de junho de 2013 | 13h18

SÃO PAULO - Depois de atormentar as donas de casa e frequentar o noticiário econômico nos últimos meses, o tomate baixou de preço e ajudou a segurar a inflação oficial em maio, com queda de 10,31% no mês, segundo o IBGE. Na pesquisa da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), o preço do tomate também levou um tombo de 13% no mês. A Ceagesp acompanha os preços dos alimentos no atacado.

Os legumes e verduras, inclusive o tomate, influenciaram a queda do indicador de preços de alimentos da Ceagesp, que recuou 2,45% em maio.

Em abril, o preço do tomate chegou a ficar acima de R$ 10 o quilo nos supermercados, o que chegou a motivar um boicote por parte de uma cantina italiana em São Paulo, a Lellos, e fez a 'inflação do tomate' virar piada nas redes sociais.

"Os preços de legumes e verduras recuaram, principalmente, em razão do aumento da oferta", explica o economista Flávio Godas, da Ceagesp. "As condições climáticas nas regiões produtoras, com temperaturas mais amenas e pouca incidência de chuva, trouxeram melhora também na qualidade da maioria dos produtos destes setores de comercialização".

As verduras apresentaram a maior queda, de 15,89%. Com destaque para espinafre (-29,9%), rabanete (-28%), alface crespa (-25,8%), alface lisa (-23,9%), couve (-23,6%) e agrião (-23,6%). Entre as principais altas do setor estão as do repolho (20,4%) e salsa (10,4%).

Entre os legumes, que ficaram 12,42% mais baratos, as principais quedas foram jiló (-41,2%), pimentão verde (-40-2%), ervilha torta (-38,95), pepino japonês (-36,9%) e tomate (13,7%).

As frutas tiveram alta de 1,73%. As principais altas foram mamão papaya (145%), limão (35%) e manga Tommy (18,5%). Principais quedas: morango (-33,7%), laranja lima (-24,1%), uva niagara (-18,1%), caju (-17,5%), maracujá doce (13,7%) e maçã estrangeira (-12,8%).

O setor de diversos foi o que registrou a maior elevação, de 3,13%. Com destaque para batata comum (14,9%), batata lisa (12,9%), milho de pipoca (6,8%) e alho (4,3%). As principais quedas foram da cebola nacional (-5,4%), ovos (3,9%) e amendoim (-1,7%).

Os pescados tiveram alta de 1,17%. Os principais aumentos foram do atum (59%), corvina (15,2%), lula (14,1%) e espada (11,6%). E quedas em destaque de pescada tortinha (-38,4%), pescada (-25%), robalo (-25%), abrotea (-21,7%) e polvo (-15,1%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoipcamaioibgetomatepiada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.