Preço de álcool se mantém estável no mês

O preço do álcool hidratado caiu 1,1% em São Paulo na semana passada, indicando que o ciclo de alta do combustível chegou ao fim. Na média nacional, o preço do combustível se mantém estável há um mês, segundo a pesquisa semanal de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Para as distribuidoras de combustíveis, a tendência é que a queda nas cotações se acentue, uma vez que algumas usinas já começaram a colheita da safra de cana-de-açúcar. Segundo a ANP, o valor médio de venda do álcool hidratado no País ficou em R$ 2,002 por litro na semana passada, valor apenas 0,3% superior ao vigente há quatro semanas - com relação à semana anterior, houve queda de 0,2%. Em São Paulo, o preço médio foi de R$ 1,786 por litro, R$ 0,02 a menos do que o verificado na semana anterior. Por ter grande concorrência entre postos e sediar grandes usinas, o mercado paulista sente primeiro os efeitos da redução de preços no atacado. "O preço está caindo um pouquinho a cada semana e a tendência é que continue assim", diz um executivo de distribuidora de combustíveis. De fato, o Centro de Pesquisa Econômica Aplicada (Cepea) da USP, que acompanha o valor de venda do produto pelas usinas, detectou uma redução de 3,1% na cotação do álcool hidratado, que fechou a semana passada em R$ 1,1586, R$ 0,04 a menos do que na semana anterior. Mercado do anidro O álcool anidro, que é misturado à gasolina, porém, ainda não apresentou reduções. O produto fechou a semana a R$ 1,2158 por litro, praticamente o mesmo valor da semana anterior. Segundo a pesquisa da ANP, o preço da gasolina nas bombas vem acompanhando a estabilidade do anidro. Há quatro semanas, o preço médio nacional vem girando em torno dos R$ 2,58 por litro. Em São Paulo, o valor de venda do produto fechou a semana em R$ 2,473, sem nenhuma modificação com relação à semana anterior. Desde o final do ano passado, os preços da gasolina e do álcool hidratado vinham subindo por conta da escassez de oferta do combustível derivado da cana-de-açúcar. O governo tentou um acordo com os usineiros para conter os preços e, por fim, reduziu o porcentual de álcool anidro na gasolina de 25% para 20%. Mas só agora, com o início da safra as cotações começam a ceder. Este ano, o álcool hidratado acumula alta de quase 30%.

Agencia Estado,

10 Abril 2006 | 18h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.