Preço de alimentos pressiona Cesta de Compras da Fecomercio

A alta nos preços dos alimentos verificada em outubro em razão ainda da entressafra fez com que a Cesta de Compras pesquisada mensalmente pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) registrasse uma elevação de 1,93%. O grupo, que têm o maior peso no estudo de acompanhamento de preços de 40 itens, registrou alta de 2,23%.O tomate registrou o maior aumento, de 86,5%. Laranja e banana também subiram significativamente ? alta de 18,3% e 9,2%, respectivamente. A cebola foi o item que mais caiu (-30,5%), seguida pelo alho (-12,6%) e pelo macarrão (-6,22%).Os produtos de limpeza doméstica ficaram praticamente estáveis em outubro, com variação de 0,06%. E no grupo de higiene pessoal, os preços fizeram caminho inverso da alta dos alimentos, registrando queda de 1,32% no período.Impacto por rendaNo mês passado, as cinco faixas de renda pesquisadas foram afetadas pela alta. O prejuízo maior foi das famílias com renda até três salários mínimos, cujo aumento chegou a 2,24%. O menor impacto, 1,27%, ficou com a faixa de renda superior a três e igual a cinco salários mínimos.A Assessoria econômica da Fecomercio estima que nos próximos meses o impacto sobre os preços de alimentos será menor, em razão da regularização da oferta, o que poderá provocar uma redução dos aumentos da cesta de compras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.