Preço de casas e confiança do consumidor nos EUA caem

A confiança do consumidor dos EstadosUnidos atingiu o menor nível em 16 anos em junho, enquanto ospreços de moradias no país registraram uma queda recorde emabril. os dados divulgados nesta terça-feira sugerem umaretração do consumo que abaterá ainda mais a economia. O índice de confiança do consumidor do Conference Boardcaiu para 50,4 neste mês, o dado mais baixo desde fevereiro de1992. O indicador já declinou mais que a metade desde o patamarde 111,90 atingido em julho do ano passado, antes do início dacrise imobiliária. "Colocando em perspectiva, há uma queda maior do que a quevimos após os ataques de 11 de setembro e o furacão Katrina",disse Dana Saporta, economista do Dresdner KleinwortSecurities. "Isso envia um sinal de que os consumidores não estãoprestes a aumentar o consumo. Tememos sobre uma retração daeconomia assim que o efeito das restituições tributárias sedissipar." A pesquisa mostrou ainda que as expectativas dosconsumidores sobre o futuro atingiram um nível recorde debaixa, enquanto o de expectativas de inflação teve recorde dealta. A ameaça inflacionária aumentou nas últimas 24 horas, comgrandes anúncios de reajustes de preços. A mineradora Rio Tinto chegou a um acordo com a siderúrgica chinesa para quase dobraros preços. O movimento deve ser seguido pela rival BHP Billiton. A Dow Chemical disse que aumentará seus preços em até 25por centos, poucas semanas após a farmacêutica ter implementadoum reajuste de 20 por cento. Outro relatório desta manhã mostrou que os preços demoradias nos Estados Unidos deram continuidade à queda recordeem abril, sendo que agora todas as principais áreasmetropolitanas tiveram declínios anuais, muitas de doisdígitos, segundo pesquisa da Standard & Poor's/Case Shiller. O índice de 20 regiões metropolitanas do país caiu 1,4 porcento sobre março. Em relação a abril de 2007, o dado teve umrecuo recorde de 15,3 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.