Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Preço de imóveis novos em São Paulo cresce 85% desde 2009--Ibope

O preço médio do metro quadrado de novos imóveis na cidade de São Paulo registrou crescimento de 85 por cento desde abril de 2009 até outubro deste ano, segundo levantamento feito pelo Ibope em quatro capitais e divulgado nesta quarta-feira.

REUTERS

26 de outubro de 2011 | 11h55

A capital paulista apurou o maior aumento de preços em comparação a Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife no período, segundo o instituto de pesquisas.

Se considerados os imóveis usados, o aumento foi de 62 por cento desde de 2009, quando o Ibope iniciou a pesquisa.

Nos seis meses de abril a outubro deste ano, os preços de imóveis novos em São Paulo cresceram 14 por cento e, no caso de imóveis usados, subiram 11 por cento em valores atualizados --para 6.019 reais e 4.979 reais, respectivamente.

Nos seis meses terminados em outubro, entretanto, as maiores altas de preços em imóveis novos foram vistas no Rio de Janeiro e em Recife, onde cresceram 18 por cento.

Em valores atualizados, o preço médio do metro quadrado de imóveis novos no Rio de Janeiro foi de 6 mil reais em outubro. Em Recife, foi de 4.074 reais.

Já em relação aos imóveis usados, Recife apresentou o maior aumento de preços entre abril e outubro deste ano, com alta de 20 por cento para 3.305 reais, com base em valores atualizados.

Na sequência ficou o Rio de janero, com elevação de 19 por cento, no caso dos imóveis usados para 5.106 reais.

"Ainda não há sinais de acomodação dos preços de imóveis, uma vez que as altas ainda são expressivas", disse o diretor de Geonegócios do Ibope Inteligência, Antonio Carlos Ruótolo.

"O mercado está testando até onde é o ponto de resistência do consumidor...O crescimento anual por volta de 30 por cento vem se mantento desde 2009, não desacelerou".

(Reportagem de Vivian Pereira; Edição de Sérgio Spagnuolo)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSTRUCAOIBOPEPRECOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.