Preço de linha branca sobe, apesar do IPI menor

O IPCA de janeiro captou aumento médio de 0,88% em janeiro ante queda de 2,68% em dezembro; analistas dizem que 'estranharam' o aumento

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2012 | 03h09

Em janeiro, a pesquisa de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o cálculo do IPCA captou um aumento médio de 0,88% nos preços do subgrupo Eletrodomésticos e Equipamentos ante uma queda de 2,68% em dezembro.

O preço da geladeira teve aumento de 0,50%; o da máquina de lavar, de 0,24%; o do fogão, de 0,21% e o do micro-ondas, de 0,05%.

Para o economista da LCA Consultores Fábio Romão, essa alta causou estranheza na consultoria. "Nos causou estranheza o aumento da inflação do segmento Eletrodomésticos e Equipamentos em janeiro", disse. Com base no histórico recente de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre eletrodomésticos, a consultoria acreditava que os preços da linha branca fossem continuar recuando nos meses subsequentes ao da redução do imposto.

A expectativa era que se repetisse o que já havia ocorrido com os preços dos produtos do setor em 2009, quando eles caíram. "Isso ocorreu em 2009. Em meados de abril daquele ano, o governo anunciou corte do IPI e os preços da linha branca caíram no próprio mês, em maio, junho e julho. Olhando para este histórico recente, tudo indicava que o movimento se repetiria", observa Romão.

Segundo o presidente Associação das Empresas de Eletrodomésticos (Eletros), Lourival Kiçula, os aumentos dos preços não partiram da indústria e sim da rede varejista.

Cláusula. "Eu não sei de nenhuma indústria da Eletros que tenha aumentado preço. Até poderiam aumentar porque quando foi concedida a redução do IPI não teve nenhuma cláusula que proibisse aumento de preço. Mas a indústria não aumentou preço", disse Kiçula.

De acordo com ele, nem se pode acusar o varejo de ter aumentado preço porque boa parte da rede reduziu os preços além da queda do IPI. "O que está acontecendo agora é uma recomposição de preços", pondera.

Romão tem raciocínio parecido com o do presidente da Eletros. De acordo com ele, uma hipótese para os preços terem subido em janeiro é que ao perceber que a diminuição dos preços além da gerada com a redução do IPI não elevou o volume das vendas a ponto de conferir lucros aos revendedores como ocorreu em 2009.

Sazonalidade. Daniel Lima, da Rosenberg & Associados, destaca ainda o fator sazonalidade como uma das possíveis explicações para a alta dos preços dos produtos da linha branca em janeiro na comparação com dezembro do ano passado.

Todos os anos, desde 2006 este movimento acontece. Em dezembro daquele ano, os preços dos eletrodomésticos caíram 0,29% e em janeiro de 2007, subiram 0,48%. Em dezembro de 2007 caíram 1,30% e em janeiro de 2008 subiram 0,68%.

Mais à frente, em dezembro de 2008 ficaram praticamente estáveis, com alta de 0,01% e em janeiro de 2009 subiram 0,77%. Em dezembro de 2009 subiram 0,88%, mas aumentaram 1,29% em janeiro de 2010

Em dezembro de 2010 caíram 0,44% e em janeiro subiram 1,03%. Agora em dezembro de 2011 caíram 2,68% e em janeiro subiram 0,88%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.