coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Preço de trigo sobe com risco de a Rússia suspender vendas

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2012 | 03h07

A possibilidade de o ministério da agricultura da Rússia suspender as exportações de trigo puxou para cima os preços do grão ontem na Bolsa de Chicago. O contrato para entrega em dezembro subiu 3,46%, e fechou a US$ 9,0575 por bushel. As lavouras russas estão sendo prejudicadas por uma forte estiagem e, neste mês, o governo já reduziu duas vezes sua estimativa de produção. A Rússia é o maior exportador mundial de trigo. Em 2010 já havia proibido as vendas externas da commodity para assegurar oferta interna e conter a alta dos preços. Se isso ocorrer novamente, a demanda por trigo produzido nos Estados Unidos deve aumentar, o que é fator de suporte aos preços em Chicago.

O clima seco na Austrália também deu sustentação às cotações do trigo, pois o país é outro grande produtor e a falta de umidade pode prejudicar a lavoura.

Os preços do milho seguiram a alta do trigo e avançaram 2,26%. Já a soja subiu 1,79%, com uma firme demanda global e a possibilidade de que a tempestade Isaac atrapalhe a colheita nos Estados Unidos.

Na Bolsa de Nova York, o café fechou em baixa de 0,77%. O interesse pouco expressivo de torrefadoras pelo produto nos preços atuais e a oferta ampla do Brasil continuam a pesar sobre as cotações. O açúcar recuou 1,84%, pressionado pela chegada da produção brasileira ao mercado. O clima seco no Centro-Sul do País tem favorecido a moagem da cana. O suco de laranja encerrou em alta de 1,45% com ameaças climáticas a pomares nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.