finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Preço do algodão cede 3,8% em NY

Após atingir preço recorde na semana passada, o preço do algodão despencou ontem na Bolsa de Nova York pelo quarto pregão consecutivo. O contrato maio cedeu 3,80%, para 177,23 centavos de dólar por libra-peso. Investidores e outros participantes vinham realizando lucros nos últimos dias e, ontem, tiveram mais um motivo para isso. O governo dos Estados Unidos previu uma safra maior em 2011/12. A produção da fibra no país foi estimada em 4,24 milhões de toneladas, ante 3,96 milhões de t em 2010/11. As cotações, entretanto, ainda acumulam alta de 130% nos últimos 12 meses e, segundo analistas, não deverão queimar toda essa gordura no curto prazo por causa da demanda. A China, maior comprador mundial, informou ontem ter importado 391 mil toneladas em janeiro, aumento de 31% ante o mesmo período em 2010.

Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2011 | 00h00

Outro mercado a recuar ontem foi o do trigo em Chicago. O contrato maio perdeu 1,97%, para US$ 7,8250 por bushel, depois de o Conselho Internacional de Grãos ter aumentado a previsão da produção mundial em 2011/12 para 272 milhões de toneladas. A firmeza dos preços expandirá em 3% o plantio global do cereal, para 224 milhões de hectares - maior área plantada desde 1998. Se realizada, será a segunda maior safra já registrada. O recuo da cotação em Chicago ontem também foi atribuído às incertezas com a economia global provocadas pela revolta na Líbia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.