Preço do boi gordo pode cair

Apesar de restringir as exportações de carne bovina, o ressurgimento de febre aftosa no Rio Grande do Sul poderá, ao menos, ter um ponto favorável. A oferta de boi gordo no mercado interno, que vinha caindo nas últimas semanas, deverá voltar a crescer. Como conseqüência, os preços ao consumidor doméstico podem cair, contrariando a tendência que vinha se observando, devido à da seca prolongada, seguida pela geada, em julho. Os pastos foram aniquilados, o que provocou a reação no mercado interno. Neste mês, a arroba chegou a R$ 41,70, uma alta de 26,01% em um ano.A expectativa era de que o preço chegasse a R$ 44,50, em outubro, pico da entressafra da pecuária de corte. Com o cancelamento das encomendas, por alguns países consumidores de carne brasileira, a oferta no mercado interno deve aumentar e o preço, cair. Tudo indicava que as exportações de carne bovina alcançariam US$ 1 bilhão, este ano. Como os preços internacionais estão em queda, o valor foi revisto e o prognóstico passou a um faturamento de US$ 850 milhões.O secretário da Agricultura de São Paulo, João Carlos Meirelles, disse que a produção de carne no País cresce por causa do ganho de produtividade. O impacto da entressafra na oferta do produto já não é tão significativo. Melhorou a qualidade genética do rebanho e caíram a mortalidade e a idade média do abate. Cerca de 1,5 milhão de cabeças são confinadas a cada ano, informou Meirelles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.