Preço do combustível continua subindo

O aumento dos preços dos combustíveis, quase uma rotina nos últimos meses, continua em São Paulo. Basta fazer uma pesquisa nos postos de combustíveis da cidade para notar os reajustes. Desde ontem os postos paulistanos já estão cobrando novos valores para os consumidores. A gasolina, com o preço aumentado na semana passada, desta vez não é a responsável pelas altas, embora tenha sofrido aumento de cerca de R$ 0,03, por causa dos 24% de álcool anidro dissolvido.O responsável pelo aumento foi o álcool. Muitas distribuidoras repassaram o reajuste para o álcool hidratado, usado como combustível, para os postos. De acordo com a assessoria de imprensa do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), as distribuidoras prevêem alta de 2,6% no preço da gasolina e de 20% no álcool. Mistura do álcool na gasolina será reduzida A mistura de álcool anidro na gasolina será reduzida de 24% para 22%, informou ontem o ministro da Agricultura, Pratini de Moraes. A redução de dois pontos porcentuais, segundo ele, foi aprovada pelo Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool (Cima).A redução é a primeira medida visando a reduzir a alta do preço final do álcool, que aumentou de forma significativa nos últimos dias, especialmente em São Paulo. Pratini disse que a garantia do abastecimento interno de álcool é prioridade absoluta, e para tanto, o governo poderá reduzir as exportações de açúcar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.