Preço do gás em MG cairá até 10% a partir de julho

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) reduzirá as tarifas para comercialização de gás natural canalizado a partir de 1º de julho, segundo informou hoje a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. Para o setor industrial a redução será de 9,1%, o gás para uso geral cairá 7,7% e para uso veicular, -10,1%. A resolução foi publicada hoje no Minas Gerais, órgão oficial do Estado. Esta foi a segunda queda do ano nos valores das tarifas do gás comercializado pela companhia. A primeira ocorreu no final de março e entrou em vigor em 1º de abril, com uma diminuição entre 10,1% e 12,7%, conforme a classe de consumidores. A maior queda, na época, foi para os preços do gás veicular utilizado por taxistas. Para a indústria, a redução atingiu 11,6%, enquanto na classe de uso geral a queda foi de 10,1%.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

26 de junho de 2009 | 17h25

A nova diminuição nos preços, conforme a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, pode ser atribuída às condições do contrato firmado pela Gasmig com a Petrobras, que vinculam o preço do gás natural às cotações do petróleo no mercado internacional. O contrato de fornecimento entre a companhia e a Petrobras prevê a entrega de 1,9 milhão de metros cúbicos por dia, sendo que 1 milhão de metros cúbicos, provenientes da Bacia de Campos (RJ), têm ajuste trimestral. Ultrapassando esse limite, os preços seguem as correções para o gás boliviano, que têm como base a cesta de óleos e sofrem grande influência da cotação do dólar.

Antes da crise financeira global, o consumo médio diário de gás natural em Minas Gerais girava em torno de 1,6 milhão de metros cúbicos, número que caiu para 1 milhão de metros cúbicos ao dia entre dezembro do ano passado e abril deste ano. A tarifa que passa a vigorar para o consumo da classe industrial é 5% inferior à que vigorava em julho do ano passado. No caso do gás de uso geral, essa redução é de 3,3% e, para o segmento veicular, a tarifa apresentou a maior redução, que foi da ordem de 7,2% relativamente ao mês de julho de 2008.

Investimentos

Até 2010, a Gasmig vai investir R$ 800 milhões na construção de uma rede de 280 quilômetros de gasodutos que vai ligar Ouro Preto, na região central do Estado, a Belo Oriente, no Vale do Aço. Esse plano de expansão, orçado ao todo em R$ 1 bilhão, também prevê a implantação do Gasoduto do Sul de Minas.

A Gasmig pretende aportar R$ 10 milhões na construção de um ramal, com seis quilômetros de extensão, para atender a Vallourec & Sumitomo Tubos do Brasil (VSB) em Jeceaba, região central do Estado.

Outro projeto que está sendo desenvolvido pela empresa é o que prevê a instalação de um ramal do gasoduto Brasil-Bolívia (Gasbol), que sairá de São Carlos (interior de SP) e irá até Brasília, passando pelo Triângulo Mineiro. A ideia é construir um canal de transporte no qual a Petrobras investiria R$ 2 bilhões. Caberá à Gasmig a instalação da rede de interligação do ramal principal aos clientes da empresa - entre eles, a Fosfértil, em Uberaba. O projeto já foi entregue à Petrobras.

Tudo o que sabemos sobre:
gás naturaltarifasGasmig

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.