finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Preço do GNV alcança litro do álcool nos postos

O Rio de Janeiro é uma poucas cidades do País em que o GNV continua custando menos do que o álcool

Alaor Barbosa, da Agência Estado,

30 de agosto de 2007 | 15h50

Os preços do álcool combustível estão equiparados aos preços do gás natural veicular (GNV) nos postos de abastecimento. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do litro do álcool em agosto está em torno de R$ 1,361, com queda de 15,94% em relação ao preço médio registrado em agosto do ano passado. O metro cúbico do GNV, por sua vez, está em torno de R$ 1,337, com aumento de 6,70% sobre a média de preços apurados pela ANP em agosto de 2006. Desde o final do ano passado, a Petrobras passou a reajustar os preços do gás para as distribuidoras, que agora estão repassando aos consumidores.   Goiânia é a cidade grande com gasolina mais barata É a primeira vez que os preços dos dois combustíveis ficam praticamente nos mesmos níveis junto ao consumidor final. Em agosto do ano passado, por exemplo, o litro do álcool era comercializado em torno de R$ 1,619 enquanto o metro cúbico do GNV estava em torno de R$ 1,266.   Em março último, antes do início da colheita da safra de cana-de-açúcar, o derivado da cana estava em R$ 1,581 enquanto o metro cúbico do GNV era comercializado por R$ 1,253. A queda nos preços do álcool este ano reflete o aumento da safra, que resultou em quedas maiores junto ao consumidor. Valor nas cidades   Pelos dados da ANP, o Rio de Janeiro é uma poucas cidades do País em que o GNV continua custando menos do que o álcool, com o metro cúbico do gás veicular sendo comercializado por R$ 1,268, enquanto o litro do álcool é vendido por R$ 1,506. Em São Paulo, o litro do álcool caiu para R$ 1,138 (queda de 16,14% sobre a média de agosto de 2006), enquanto o GNV custa, em média, R$ 1,146.   Em Ribeirão Preto, que passou a ter postos de GNV no final do semestre passado, o álcool está sendo comercializado por apenas R$ 1,047 o litro, enquanto o gás veicular tem preço médio de R$ 1,390.   Conversão   O ritmo de conversão de veículos para a utilização de GNV caiu 25,4% este ano em relação à média observada no ano passado. Segundo dados do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), a média deste ano até julho está em 16.897 veículos/mês, ante os 22.642 mensais convertidos em 2006. O coordenador do Comitê de GNV do IBP, Roseli Fernandes, admite que a redução no ritmo de conversões foi afetada pelos menores preços do álcool este ano, mas ele observa que o mercado de GNV continua crescendo. "No final de julho, a frota de GNV atingiu 1,44 milhão de veículos, com aumento de 8,9% sobre o final de dezembro. Até o final do ano o crescimento deverá ficar entre 16% e 18% no ano, o que muito acima da economia como um todo", observou.   Vantagens   Roseli acentua ainda que apesar de os preços do GNV estarem praticamente equiparados aos preços do álcool, isso não tira as vantagens do veículo convertido para o uso do gás. Segundo ele, um carro que utiliza GNV percorre cerca de 13 quilômetros com um metro cúbico do combustível, enquanto um carro movido a álcool percorre cerca de 7 quilômetros com um litro.   O executivo observa ainda que os preços do álcool tendem a subir nos próximos meses, com o fim da colheita da cana-de-açúcar. "Há um movimento sazonal de queda de preços entre abril e agosto, com alta nos meses seguintes, até o início da safra, em março", comentou.   Ele prevê que o GNV também ficará mais caro nos próximos meses devido à política da Petrobras de aumentar os preços do gás. Desde o ano passado, a estatal passou a reajustar o gás nos meses de abril, julho e setembro, com base na cotação dos preços de uma cesta de óleo no mercado internacional. "A tendência, porém, é que o álcool suba mais que o GNV", acredita.   Desvantagens   O GNV tem sido uma opção mais econômica do que o álcool e a gasolina. Além disso, é um combustível menos poluente. Mas a opção pelo GNV traz alguns custos para o consumidor. O primeiro é a própria conversão do veículo a álcool ou a gasolina para gás. Em média, esta despesa fica em R$ 3 mil.   Para estar regulamentado, é necessário que o serviço tenha sido feito em local certificado pelo Inmetro. E, anualmente, o carro precisa passar por vistoria técnica.   A Volkswagen, por exemplo, é uma das poucas montadoras a oferecer o kit GNV como item de fábrica para seus veículos: Gol, Kombi, Parati, Polo (sedã e hatch) e Saveiro.   Outro gasto é o seguro deste equipamento, que acaba ficando mais alto. Isso porque os veículos com GNV têm uma freqüência de roubo e furto de 40% a 60% superior se comparados a um veículo sem o kit. Com isso, o preço da apólice chega a ser 50% mais cara.   Diferença de preços   Março de 2006 (antes da safra) Álcool (por litro) - R$ 1,9830 GNV (por metro cúbico) - R$ 1,2430   Agosto de 2006 (depois da safra) Álcool - R$ 1,619 GNV - R$ 1,266   Março de 07 (antes da safra) Álcool - R$ 1,581 GNV - R$ 1,253   Agosto de 2007 (depois da safra) Álcool - R$ 1,361 GNV - R$ 1,337   * Um carro que utiliza GNV percorre cerca de 13 quilômetros com um metro cúbico do combustível, enquanto um carro movido a álcool percorre cerca de 7 quilômetros com um litro

Tudo o que sabemos sobre:
Preço dos combustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.