Preço do petróleo bate recorde em Londres e Nova York

O contrato futuro do petróleo tipo brent, com vencimento para novembro e negociado em Londres, ultrapassou hoje o patamar de US$ 50,00 o barril. As preocupações sobre a oferta do produto continuam a impulsionar as compras de petróleo, pressionando as cotações para cima. O Patamar máximo alcançado na manhã desta segunda-feira foi de US$ 50,22 por barril, recorde histórico.No sistema eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do petróleo cru para novembro sobe 0,39%, para US$ 53,52 por barril. Mais cedo, esse contrato atingiu US$ 53,63 por barril, o que também corresponde a uma nova máxima histórica.Problemas na NigériaComeçou hoje uma greve geral na Nigéria, em protesto contra o aumento dos preços dos combustíveis, mas autoridades e fontes da direção da Royal Dutch/Shell Group afirmavam que a produção de petróleo não tinha sido afetada.A Royal Dutch/Shell responde por um pouco menos da metade dos 2,3 milhões de barris produzidos na Nigéria, sétima maior produtora mundial. A greve convocada pelo Congresso Trabalhista da Nigéria tem previsão de durar quatro dias, mas os sindicatos do setor petrolífero, embora apóiem a paralisação, informaram que não vão interromper os processos de extração e carregamento de petróleo.Problemas no Golfo e nos Estados UnidosAlém da greve na Nigéria, os investidores preocupam-se com a notícia de que a Louisiana Offshore Oil Port (LOOP) atrasou a retomada das operações de embarque, prevista para ocorrer ontem à tarde. Segundo a empresa, problemas técnicos em um de seus navios de assistência atrasavam a retomada do abastecimento, que foi interrompido na sexta-feira, por causa das ondas fortes provocadas pelas condições climáticas adversas no Golfo dos EUA.O mercado segue ainda apreensivo pelas condições baixas dos estoques de óleo para aquecimento nos EUA, diante da aproximação do inverno. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.