Preço do petróleo oscila e volta a bater recorde

Os contratos futuros do petróleo oscilam nesta manhã, com investidores buscando patamar de preço adequado depois de uma semana de sucessivos recordes de alta e de poucas mudanças no preocupante cenário do abastecimento. Operadores dizem que o pano de fundo permanece desfavorável, ou seja, leva os preços a penderem para a alta.O petróleo tipo brent, negociado em Londres, atingiu nova máxima histórica nesta manhã, a US$ 49,30 o barril. Às 11h20 (horário de Brasília), o barril do petróleo negociado no mercado futuro da Bolsa de Nova York (Nymex), com vencimento em novembro, estava cotado a US$ 52,52, em alta de 0,28%. Em Londres, o brent estava em alta de 0,14%, cotado a US$ 48,97.A incerta situação na Nigéria e a possibilidade de aumento na proporção da greve na Noruega acentuam o incômodo. Parte do fornecimento de petróleo da Noruega será interrompida a partir do final desde sexta-feira, uma vez que a Associação dos Armadores da Noruega prepara-se para reduzir a produção diária de petróleo em 55 mil barris, por causa do aumento na paralisação dos trabalhadores. Paralelamente, o presidente da Opep declarou hoje que o grupo não pretende elevar mais sua produção.A possibilidade de manutenção dos preços em alta é grande, pelo menos no curto prazo, e é forte o risco de continuarem subindo, disse um analista. "Embora os países da Opep tenham elevado a produção, ao que parece ao máximo, os estoques globais mostram pequeno, senão nenhum, sinal de recuperação", diz nota de estrategistas do CSFB. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.