Preço do petróleo pode mexer com projeções para IPCA 2007

O comportamento da cotação do petróleo e seus efeitos no preço doméstico da gasolina será a única variável capaz de levar a revisões significativas, para baixo, das expectativas para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2007, segundo concordam analistas econômicos. O economista do Ibmec Carlos Thadeu de Freitas, ex-diretor de política monetária do Banco Central, prevê uma queda no preço da gasolina até o final deste ano e, por isso, já projeta uma inflação de 3,7% para o período, abaixo da média de 4,07% da última pesquisa Focus, divulgada na segunda-feira pelo Banco Central.A cotação do barril de petróleo já caiu em torno de 15% desde o início deste ano. "Com a cotação do petróleo caindo e o dólar estável não há espaço para manter a gasolina no preço atual", avalia Thadeu de Freitas. Ele disse ser difícil estimar qual seria a redução de preço definida pela Petrobras, mas explica que, para cada 10% de queda no preço da gasolina ao ano, há influência direta no IPCA anual de 0,3 ponto porcentual. Como há também efeitos indiretos da queda do preço da gasolina na economia, ele avalia que uma virtual queda de 10% reduziria o IPCA anual em 0,4 ponto.Solange Srour, economista-chefe da Mellon Global Investiments, acredita que há "grande chance" de ocorrer um reajuste para baixo no preço da gasolina em 2007, com impacto significativo na inflação. "Com o preço do petróleo caindo e o câmbio estável, há uma defasagem (de preço) no mercado doméstico", explica. A projeção da Mellon para o IPCA de 2007 é de 4,1% mas, segundo Solange, caso ocorra uma queda no preço da gasolina essa estimativa poderá cair para 3,7% a 3,8%. Ela acredita que, se houver a queda nos preços, não será nas próximas semanas. "É preciso esperar um pouco, mas é possível que ocorra", disse.Marcela Prada, da Tendências Consultoria, afirma que uma queda no preço da gasolina é possível e levará, com certeza, a uma enxurrada de revisões para baixo nas estimativas para o IPCA em 2007, mas explica que ainda não fez projeções levando em conta essa variável. As projeções da Tendências, até o momento, levam em conta estabilidade no preço da gasolina em 2007, com IPCA no ano de 4,1%. Apesar de acreditar que "o mais provável é que o preço da gasolina fique parado" neste ano, ela acredita que poderá ocorrer uma redução se o preço do petróleo prosseguir em queda.O comportamento do preço da gasolina será ainda mais importante para o cálculo do IPCA em 2007 do que foi no ano passado. Isso porque a nova ponderação de cálculo da taxa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), implantada a partir de julho do ano passado, elevou o peso da gasolina no IPCA, passando de 4,41% na ponderação anterior para 4,72% na atual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.