Preço do petróleo será discutido no comitê Monetário do FMI

O Comitê Monetário e Financeiro do Fundo Monetário Internacional (IMFC, sigla em inglês) iniciou na manhã deste sábado, em Washington, Estados Unidos, sua reunião semestral. Nesta edição serão abordados os elevados preços do petróleo, a reforma do organismo e os desequilíbrios econômicos mundiais. IMFC revisa a saúde da economia mundial e dirige a estratégia do FMI em nome de seus 184 integrantes. Fazem parte dele 24 representantes de potências, como Estados Unidos e Japão. Também estão presentes à reunião observadores de organizações internacionais como o Banco Mundial e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A reunião é o ato mais importante da assembléia de primeiro semestre do FMI, conjunta com o Banco Mundial. A assembléia começou na última sexta-feira com uma conferência informal sobre os desequilíbrios em conta corrente, à qual assistiram representantes dos mais importantes países desenvolvidos e de algumas economias emergentes, como China, Índia e Brasil. A reunião termina amanhã com a sessão do Comitê de Desenvolvimento, um órgão conjunto do Fundo e do Banco Mundial. Entre as alternativas para a resolver o problema do desequilíbrio das transações correntes estão a desvalorização do dólar e a valorização da moeda chinesa, o yuan. Conclusões O ministro britânico de Economia e presidente do IMFC, Gordon Brown, e o diretor-gerente do FMI, o espanhol Rodrigo Rato, apresentarão as conclusões da sessão em entrevista coletiva prevista para as 18 horas de Brasília, na qual também divulgarão o comunicado do comitê. Na declaração espera-se que o IMFC se pronuncie sobre a reforma do FMI promovida por Rato, que prevê dar mais voto aos países emergentes e aumentar a supervisão das taxas de juros mundiais por parte do organismo.

Agencia Estado,

22 Abril 2006 | 12h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.