NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Preço dos imóveis tem queda real de 5% em 2015, aponta FipeZap

Valor dos imóveis subiu 1,51% no ano até julho, ante uma alta esperada para o IPCA de 6,79%; cidade com o metro quadrado mais caro, de R$ 10,6 mil, continua sendo o Rio de Janeiro

Lucas Hirata, O Estado de S. Paulo

05 de agosto de 2015 | 10h05

SÃO PAULO - A desaceleração da economia dá sinais de contaminação do mercado de imóveis. Os preços têm subido abaixo da inflação. No ano até julho, o valor dos imóveis, medido pelo índice FipeZap, cresceu 1,51%, ante uma inflação esperada para o IPCA de 6,79%. Na prática, isso significa que o preço médio anunciado do metro quadrado para venda nas 20 cidades pesquisadas tem queda real de 4,94% em 2015.

Pelo nono mês consecutivo, a alta mensal dos preços dos imóveis residenciais no País ficou abaixo da inflação. O custo médio do metro quadrado registrou em julho um crescimento de 0,13% na comparação com junho. Na relação com o mesmo mês do ano passado, a alta foi de 4,03% e marcou a sétima vez consecutiva de queda real de preços. 

Isso porque as variações foram menores do que as projetadas por analistas ouvidos pelo Boletim Focus, do Banco Central. Eles esperam um aumento de 0,58% para o IPCA no mês de julho e um avanço de 9,52% no acumulado em 12 meses.

O Índice FipeZap Ampliado é compilado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a partir dos anúncios de venda no site Zap. Segundo a pesquisa, quase todos os municípios que compõem o indicador tiveram variações menores do que a inflação, sendo que Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Vila Velha e Niterói apresentaram queda já no dado nominal. Apenas Florianópolis e Vitória tiveram elevação mensal maior que a do IPCA.

Na comparação anual, com exceção de Florianópolis, houve perda real de preços nas demais cidades, com recuo nominal em Brasília. Na média, o preço do metro quadrado brasileiro chegou a R$ 7,6 mil. A cidade com o metro quadrado mais caro continua sendo o Rio de Janeiro (R$ 10.631), seguida por São Paulo (R$ 8.602). Já os dois municípios com os menores preços são Contagem (R$ 3.568) e Goiânia (R$ 4.183).

Tudo o que sabemos sobre:
imóveisinflaçãoFipeZAp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.