Preço médio de TV paga no Brasil é o 16º mais caro

Quando se analisa o preço médio do pacote básico de TV paga, o custo do País é o 27º maior

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

30 de julho de 2013 | 12h25

O preço médio do canal de TV por assinatura no Brasil é o décimo sexto mais caro do mundo, segundo estudo divulgado nesta terça-feira, 30, pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA). De acordo com a pesquisa, no País o valor médio é de 57 centavos de dólar, abaixo da média mundial, que é de 65 centavos de dólar.

Quando se analisa o preço médio do pacote básico de TV paga no Brasil o custo fica em US$ 23,25, o que coloca o País no 27º lugar. A média mundial do preço neste caso fica m US$ 27,43.

"Verificou-se que o preço por canal no Brasil encontra-se ao redor da média mundial. Com isso entende-se que o preço está alinhado com a realidade internacional", afirma trecho do estudo publicado pela ABTA.

O estudo foi realizado entre os meses de abril e maio deste ano, englobando 47 países. O comparativo de preços foi feito com base no Índice Big Mac, publicado pela revista The Economist.

Fatuamento. O presidente da ABTA, Oscar Simões, disse que a projeção de faturamento operacional bruto do setor é de R$ 28 bilhões este ano. No ano passado, o setor faturou R$ 23,8 bilhões. Isso representaria uma alta de 17,6%. Este resultado considera a receita com TV paga, internet, telefonia e publicidade.

"Apesar do contexto macroeconômico que estamos inseridos, com um ritmo de crescimento mais lento, ainda temos um espaço de crescimento constante", disse Simões em entrevista a jornalistas. Apenas no primeiro trimestre, o faturamento do setor foi de R$ 6,5 bilhões, uma alta de 15,7% sobre o mesmo período do ano passado. Até o mês de maio, a base de domicílios com TV paga no Brasil terminou em 17 milhões, o que atingiria cerca de 55 milhões de telespectadores. Para o final deste ano, esta base deve atingir 18,5 milhões, uma alta de 14%, ante a base de 16,2 milhões de 2012, projetou Simões.

Tudo o que sabemos sobre:
TV paga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.