Preços agrícolas no atacado em SP caem 0,82% em setembro

Custos desaceleram após alta de 3,84% em agosto; queda deve trazer alívio aos índices de inflação do País

Reuters,

04 de outubro de 2007 | 11h58

Os preços agrícolas no atacado no Estado de São Paulo registraram queda de 0,82% em setembro, ante uma forte alta de 3,84% em agosto, informou nesta quinta-feira, 4, o Instituto de Economia Agrícola (IEA), do governo paulista.  Segundo o IEA, os produtos de origem animal, como carne de frango e bovina, que haviam colaborado para altas recentes, recuaram e puxaram o índice para baixo.  O grupo de alimentos de origem animal caiu 4,82% em setembro, enquanto o grupo de origem vegetal registrou alta de 1,12%.  O preço da carne bovina caiu 4,7%, enquanto o da carne de frango registrou queda de 8,3%. Destaque, entre os grãos, para as altas da soja e do milho, de 12,2 e 26,6%, respectivamente.  "A elevação nas cotações do milho é resultado do bom desempenho das exportações, que reduz a disponibilidade interna", disse o instituto.  Os preços da laranja para a indústria voltaram a recuar bastante, 11,5%. "No caso da laranja para indústria, a queda decorre do período de safra, apesar da recuperação no preço posto na indústria verificada nas últimas semanas", informou o IEA em comunicado. Inflação A queda nos preços dos agrícolas deve trazer alívio para os índices de inflação, que entraram em um movimento de crescente elevação a partir de julho, pressionados em grande parte pela alta nos preços dos alimentos. No mercado interno, os produtos agropecuários enfrentaram problemas de entressafra e de forte demanda. No cenário externo, a alta mundial do preço das commodities também pressionou os índices no Brasil. Para Salomão Quadros, da Fundação Getúlio Vargas, a forte demanda externa produziu a alta das cotações. 

Tudo o que sabemos sobre:
AgrícolasInflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.