Preços ao consumidor dos EUA sobem mais que o esperado

Os preços ao consumidor dos Estados Unidos subiram mais que o esperado em janeiro, apesar do recuo dos custos com energia, à medida em que as despesas médicas ficaram maiores, informou o Departamento de Trabalho nesta quarta-feira, 21. O índice de preços ao consumidor subiu 0,2%, enquanto o núcleo do indicador, que exclui os preços de energia e alimentos, subiu 0,3%. Analistas esperavam um avanço de 0,1% para o índice cheio e um ganho de 0,2% para o núcleo do indicador. Os custos de energia recuaram 1,5%, parcialmente revertendo o ganho de 4,2% em dezembro. Mas as despesas médicas subiram 0,8%, o maior ganho desde agosto de 1991, quando esses custos subiram os mesmos 0,8%. Além disso, as despesas com alimentos ficaram 0,7% maiores, a alta mais forte desde abril de 2005. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice de preços ao consumidor de janeiro subiu 2,1%, enquanto o núcleo avançou 2,7%. Analistas esperavam um avanço de 2% para o índice cheio e de 2,6% para o núcleo. Autoridades do Federal Reserve esperavam uma moderação da inflação ante o patamar considerado elevado em que ela se encontrava, mas acrescentaram que eles estavam preparados para elevar a taxa de juro para conter qualquer pressão inflacionária se necessário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.