Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Preços ao consumidor sobem 0,16%, aponta Fipe

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, registrou inflação de 0,16% na primeira quadrissemana de setembro.A inflação do período foi um pouco maior do que a apurada no fechamento de agosto - quando o IPC foi de 0,12% - e ficou dentro da margem prevista pelos analistas, que apostavam em uma variação entre 0,09% e 0,19%.A chegada das coleções de verão às lojas fez com que o item vestuário registrasse a maior alta do período: 0,66%. No encerramento de agosto, os itens que compõem o grupo haviam caído 0,12%. O segundo maior aumento do período foi Saúde, que avançou 0,60%, bem acima do apurado no último mês (0,47%).A alimentação subiu 0,50%, ante aumento de 0,46% apurado na semana anterior. O grupo Despesas Pessoais, que havia avançado 0,16% no fechamento de agosto, subiu 0,22% na primeira prévia de setembro de acordo com os dados divulgados na manhã desta terça-feira. Educação subiu 0,08%, acima do registrado no período anterior, quando o aumento foi de 0,02%.As quedas ficaram nos transportes, que teve variação de apenas 0,01%, menor do que o 0,15% do oitavo mês do ano. Já o grupo Habitação registrou a terceira queda consecutiva: 0,18%. Na última pesquisa, a baixa apurada foi de 0,17%. Na terceira prévia de agosto, a queda registrada foi de 0,11%.PerspectivasO resultado da primeira quadrissemana de setembro confirma um cenário de inflação alinhado com a previsão de 0,25% feita pelo coordenador do índice, Paulo Picchetti, para o encerramento do mês. Ele trabalha com esta variação desde a semana passada, quando divulgou o IPC fechado de agosto, que foi de 0,12%. Se confirmada a projeção de Picchetti, o índice de setembro será 0,19 ponto porcentual abaixo da alta de 0,44% apurada no mesmo mês do ano passado.A menor evolução do IPC deste ano, segundo o coordenador, está relacionada à ausência de pressão vinda das tarifas públicas. A taxa de luz na quadrissemana fechou negativa em 1,35%, dando uma contribuição de -0,06 ponto porcentual para o IPC cheio. A conta de telefone fixo, com uma redução de 0,77%, deu também uma contribuição de -0,02 ponto porcentual para a composição do índice.A taxa de água e esgoto, que no último dia 31 de agosto foi aumentada em 6,71%, vai impactar o IPC de setembro, em 0,03 ponto porcentual, segundo cálculos de Picchetti. Mas como energia elétrica e telefonia, juntas, devem contribuir com influência negativa de 0,04 ponto porcentual, o saldo das tarifas públicas sobre o IPC fechado deste mês será negativo em 0,01 ponto porcentual.Para o ano, o coordenador manteve a previsão de uma inflação de 2,00%, resultado do rebaixamento de 0,50 ponto porcentual da semana passada, de uma taxa anterior de 2,50%.

Agencia Estado,

12 de setembro de 2006 | 07h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.