Ivan Dias/AE
Ivan Dias/AE

Clássicos na rotina, preços de café e pão na chapa chegam a variar até 180% na cidade de São Paulo

Pesquisa da Proteste também comparou preços do café da manhã do Rio de Janeiro, onde a maior diferença chegou a ser de 208% para o café com leite

Jessica Brasil Skroch, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2022 | 13h53

Um café com leite em São Paulo pode custar até 180% mais caro a depender da loja em que é comprado. Os dados são de uma pesquisa da Proteste Associação de Consumidores, que mostra que os preços da maioria dos produtos de café da manhã, tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro, chegam a custar mais que o dobro dentro da mesma cidade. 

Na capital paulista, a maior variação foi do café com leite, seguido do pão na chapa, com 177%. Para o item, o menor preço foi de R$ 3,25, e o máximo, R$ 9. Já o café expresso apresenta uma variação de 122% na cidade. No local mais barato, foi encontrado por R$ 4,50, enquanto no mais caro, por R$ 10. Segundo a pesquisa, se uma pessoa beber um café expresso por dia útil no mês (22 dias úteis), a economia mensal pode chegar a R$121 caso o consumidor opte pela opção mais em conta.  

O estudo também mostrou a diferença de preços na combinação do pão na chapa com um café expresso. Em São Paulo, o consumidor desembolsa de R$ 7,95 e R$ 15,50, uma variação de 95%. No Rio, o consumidor pode pagar até 100% mais caro, já que os preços variam de R$ 8 a R$ 16. 

Assim como em São Paulo, na capital fluminense o produto que apresentou a maior variação percentual foi o café com leite, 208%. O preço mínimo foi de R$ 3,90, enquanto o máximo foi de R$ 12. A segunda maior variação também foi o pão na chapa, 200%. Já o café expresso teve uma variação bem menor do que em São Paulo, de 60%.

A pesquisa ainda mostrou que a variação de preço pode ser grande dentro do mesmo bairro. Em uma simulação de uma única compra diária de café expresso com pão na chapa em São Paulo, é possível ter uma economia mensal (22 dias úteis) de R$63,80 caso o consumidor escolha uma loja mais barata, que fica apenas a 900 metros de uma mais cara. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.