Preços caíram nas feiras e supermercados

Os preços dos alimentos mostraram queda durante a semana passada tanto nos supermercados como nas feiras livres e nos produtos que integram a cesta básica, segundo dados do InformEstado e da Fundação Procon/Dieese. O resultado da quarta semana do mês consolida a tendência de acomodação dos preços prevista para setembro.Mesmo com variação negativa de 0,64% na semana, o valor médio da cesta básica apurado pela Fundação Procon/Dieese registrou o pico desde o início do Plano Real, atingindo R$ 141,84 no dia 26. Durante a vigência do real, a cesta acumula alta de 31,8%, pressionada principalmente pelo aumento de 67,53% da carne de primeira no mesmo período. Ontem, o valor médio ficou em R$ 140, 23. A variação da cesta básica no mês é de 1,28%.De acordo com dados da pesquisa semanal InformEstado, coletados nos principais hiper e supermercados de São Paulo, a variação de preços ficou negativa em 0,71%, ante alta de 0,54% na semana anterior. Os grupos que apresentaram as queda mais representativas no período foram o dos ovos (-4%) e dos frios e laticínios (-2,12%). Dos nove grupos avaliados no levantamento, apenas dois tiveram variações positivas em relação à semana passada: enlatados (1,44%) e produtos de higiene (1,43%).Wal-Mart é o mais baratoO Wal-Mart foi o ponto-de-venda que apresentou a maior quantidade de produtos mais baratos por supermercado, com 25 itens. Na soma dos valores dos 35 produtos em comum encontrados em todas as lojas, o Bergamini mostrou a menor conta, de R$ 54,72, contra total de R$ 69,41 registrado pelos mesmos itens no Carrefour-Rebouças.O preço caiu nas feiras livresO InformEstado mostrou ainda que o preço das verduras, frutas, legumes e ovos caiu 2,09% nas feiras livres e 2,96% nos supermercados. Na semana anterior, o resultado também sofreu queda de 3,69% nas feiras livres e 1,01% nos supermercados.Os legumes, que caíram 4,44% em média em relação à semana anterior, foram os itens que mais pressionaram a queda nas feiras. Nos supermercados, a maior contribuição ficou por conta do comportamento das verduras (-4,46%) e dos ovos (-4%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.