Preços da Petrobras não se relacionam com Copom, diz Gros

O presidente da Petrobras, Francisco Gros, disse hoje que não há qualquer vinculação entre as previsões feitas pelo Comitê de Política Monetária (Copom) para o preço da gasolina e a política comercial da empresa. "O Banco Central não discute conosco sua política de juros e não discutimos com o BC nossa política econômica", disse Gros. E acrescentou: "Qualquer previsão do BC é simplesmente isso: previsão. Não é fruto de conversas entre a Petrobrás e o Banco". De acordo com a ata da última, o Copom projetou um reajuste de 3,3% para o preço da gasolina este ano em função do comportamento do preço do petróleo no mercado internacional. Gros enfatizou que a empresa não tem nenhuma previsão para os preços dos combustíveis até o fim do ano e reafirmou que o critério da Petrobras tem sido acompanhar a flutuação dos preços no mercado externo. Quanto à previsão no curto prazo, Francisco Gros disse que é muito difícil fixar preços com a atual volatilidade no mercado. Ao lembrar que o dólar tem flutuado entre 3,10 e 3,70, afirmou: "Estamos esperando o mercado acalmar para fazer a avaliação dos preços". O presidente da Petrobras participou da solenidade de entrega do prêmio Finep de Inovação Tecnológica, em que a empresa foi premiada na categoria "Processo", por ter criado um equipamento que substituiu correntes de aço nas pesquisas submarinas com redução do custo de operação. A solenidade foi presidida pelo presidente Fernando Henrique Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.