Preços de importação têm queda recorde de 12,5% nos EUA

Dado de dezembro foi revisado para queda de 5% ante novembro, de recuo estimado anteriormente de 4,2%

Nathália Ferreira, da Agência Estado

18 de fevereiro de 2009 | 10h56

Os preços de importação nos EUA caíram 1,1% em janeiro ante dezembro, informou o Departamento de Trabalho, levemente abaixo do declínio de 1,5% esperado por economistas. Em relação a janeiro de 2008, os preços caíram 12,5%, a maior queda desde que o índice começou a ser publicado, em 1982. O dado de dezembro foi revisado para queda de 5% ante novembro, de recuo estimado anteriormente de 4,2%.   Veja também: PIB de Taiwan cai 8,36% e país entra em recessão ING tem prejuízo de 729 milhões de euros em 2008 De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   Os preços de importação de petróleo recuaram 2,4% no mês passado ante dezembro e tiveram queda recorde de 55% em base anual. Excluindo petróleo, os preços de importação caíram 0,8% em janeiro ante dezembro e 0,6% ante janeiro de 2008, o maior declínio desde 2002.   Os preços de importação de materiais e suprimentos industriais que não são petróleo caíram 4,8% no mês. Os preços de automóveis subiram 0,2%. Os preços de bens de capital e os de bens de consumo, excluindo automóveis, ficaram estáveis, assim como os preços de alimentos.   Os preços de produtos importados da União Europeia subiram 0,1% na comparação mensal, enquanto os que vieram do Canadá declinaram 0,9%. Os preços de produtos da China caíram 0,7% e acumulam baixa de 1,8% nos últimos três meses, o maior declínio em três meses desde que esse subíndice começou a ser publicado, em 2003. Os preços de produtos do Japão subiram 0,3%.   Os preços de exportação nos EUA aumentaram 0,5% em janeiro ante dezembro, a primeira alta em seis meses, mas caíram 3,6% em base anual. Os preços de exportação agrícola saltaram 6,2% na comparação mensal. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.