Preços de veículos vão subir de novo

A redução de um ponto porcentual do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os carros com motor de 1.3 a 2.0 não deve alterar os planos das montadoras de reajustar os preços dos carros novamente na próxima semana. A General Motors, a principal defensora da redução da alíquota para os modelos desse segmento, já anunciou reajustes médios de 4% a 5% a partir do dia 4. Qualquer repasse que ocorra por conta do IPI, portanto, será anulada poucos dias depois. A diferença de um ponto deve representar cerca de 0,9% no preço final do automóvel.A Ford também informou que vai reajustar preços em novembro, mas não revelou índices. As demais marcas devem fazer o mesmo. As empresas alegam necessidade de repasse de custos, principalmente por conta da alta do dólar e das matérias-primas, como o aço.A nova redução do IPI para os carros de potência acima de 1.0 é mais uma vitória da GM junto ao governo federal. A montadora foi a única a divulgar publicamente ser contrária à decisão da Anfavea de apenas reivindicar a manutenção da alíquota de 9% para os carros populares e não incluir a contrapartida aos modelos de motorização maior."Nunca fomos contra a redução de impostos para os populares, mas contra a manutenção de uma diferença grande entre as duas categorias de modelos", disse o vice-presidente da GM, José Carlos Pinheiro Neto.Ele acredita que a participação no mercado dos modelos com motor até 2.0 deve ficar próxima a 58%, índice verificado em setembro nas vendas no atacado. A Anfavea limitou-se a informar ontem que a medida da Receita Federal "é positiva por tratar-se de redução de imposto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.