Preços do açúcar sobem com demanda chinesa

Cenário: Filipe Domingues

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h10

Rumores de que a China está comprando mais açúcar no mercado internacional provocaram uma forte valorização da commodity ontem na Bolsa de Nova York. Os contratos do produto para entrega em outubro avançaram 3,56%, para 20,95 centavos de dólar por libra-peso. Analistas disseram que a demanda chinesa de curto prazo aumentou, o que tende a sustentar os preços, pois o momento é de pouca oferta. A colheita brasileira de cana atrasou por causa do clima desfavorável e houve queda de produtividade.

Segundo a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), o teor de açúcar na cana colhida até 16 de junho no Centro-Sul do Brasil, principal região produtora, é quase 3% menor do que no mesmo momento de 2011. E, com a lentidão na moagem, a produção de açúcar é 28% menor. "A questão é se vamos conseguir suprir um pouco dessa demanda", disse à agência Dow Jones o analista Mike McDougall, da corretora Newedge.

Outro mercado que registrou ganhos expressivos foi o do cacau, também negociado em Nova York. O motivo é parecido: os estoques na África Ocidental estão baixos, e a região é a maior fornecedora da amêndoa. De acordo com analistas, caminha-se para um período de oferta menor, pois a safra intermediária está quase acabando. E no lado da demanda também há preocupações. A crise econômica na Europa levanta dúvidas sobre o consumo de chocolate. Na Bolsa de Chicago, os preços voltaram a ser sustentados pelo clima adverso nos EUA. O milho se destacou, com alta de 1,44%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.