Preços do petróleo sobem com incertezas na Opep

Os preços do petróleo subiram nesta terça-feira em meio à contínua incerteza sobre possíveis ações da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para tirar os preços de uma queda de 13% apenas neste ano.Enquanto o barril Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), subia 36 centavos para US$ 53,05, na Europa os negociantes procuravam por uma pista sobre as intenções dos ministros do petróleo dos membros da Opep. O petróleo Brent com entrega em fevereiro ganhou 28 centavos para US$53,40 no mercado futuro de Londres.Para conter a queda nos preços, o ministro do Petróleo da Venezuela, Rafael Ramirez, pediu na segunda-feira por uma reunião extraordinária da Opep para forçar mais um corte na produção.Ramirez disse que há entre 700 mil e 1 milhão de barris de excesso diariamente na produção no mercado mundial. Segundo ele, alguns países da Opep apóiam a proposta da Venezuela, mas ele não citou quais. Mas na sede da Opep em Viena, uma oficial que pediu para não ser identificada, disse que era improvável que uma reunião acontecesse, pelo menos nesta semana.O ministro do Petróleo da Nigéria, Edmund Daukoru, disse nesta terça que os membros da Opep deveriam esperar até fevereiro para decidir sobre mais cortes em sua produção. "Não podemos julgar o mercado agora. Teremos que esperar até 1º de fevereiro", disse.A Opep se comprometeu nos últimos meses com um corte de 1,7 milhões de barris por dia na produção, incluindo uma redução de 500 mil por dia agendada para o dia 1º de fevereiro. O ministro saudita do Petróleo, Ali Al-Naimi, afirmou nesta terça-feira que os cortes na produção já acertados pela Opep estão funcionando bem e não há motivo de pânico sobre os preços do petróleo. "Nós tomamos medidas em outubro em Doha e medidas em Abuja (em dezembro) e eu acredito que essas medidas estão funcionando bem. Os estoques no quarto trimestre caíram... o que coloca o mercado mais perto do equilíbrio", disse a jornalistas na chegada a uma conferência de energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.