Preços estáveis no comércio de SP

Os preços no comércio varejista mantiveram-se praticamente estáveis na segunda quadrissemana de outubro ante a primeira quadrissemana (1,53% contra 1,54% da quadrissemana anterior). O resultado da pesquisa sobre o Índice de Preços do Varejo (IPV) mostra que os setores que continuam contribuindo com a alta são os de semiduráveis e não duráveis. Os dados são da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FCESP) e Agência Estado.O grupo de semiduráveis registrou alta de 1,69% nesta quadrissemana (de 9 a 13 de outubro), o mesmo porcentual verificado na quadrissemana passada. O aumento desse grupo foi puxado pelos segmentos de vestuário e calçados que apresentaram elevações quadrissemanais de 2,06% e 3,25%, respectivamente. Já o setor de não duráveis caiu um pouco, mas ainda está exibindo alta de 2,04%.Nesta segunda quadrissemana, o único a registrar alta de preços foi o grupo de duráveis (cresceu de 0,59% para 1,02% no quadrissemanal). Por conta da expansão de crédito que tem aumentado a demanda no mercado interno, segundo o economista, os eletrodomésticos, que integram o grupo, estão contribuindo com o crescimento verificado no setor. Esse segmento teve variações positivas de 2,03% (quadrissemanal), 3,42% (ponta-a-ponta) e 0,10% (semanal).Os medicamentos, que fazem parte de não-duráveis, subiram 3,50% desde o início de julho deste ano quando foi firmado o acordo entre o governo e a indústria farmacêutica para congelamento dos preços dos remédios. Já o comércio automotivo e material de construção ficaram praticamente estáveis no quadrissemanal em relação à quadrissemana anterior com variações positivas de 0,51% e 0,46%, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.