Preços no varejo em SP sobem 2,26% em abril

Os preços praticados no comércio varejista da Região Metropolitana de São Paulo apresentaram forte alta no mês de abril, conforme informou nesta quarta-feira a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). No mês passado, o Índice de Preços no Varejo (IPV) subiu 2,26%, ante uma variação de 1,83% em março. Foi a segunda alta consecutiva de 2005 e a maior desde maio de 2003, quando avançou 2,45%. No acumulado do ano, o IPV tem variação de 4,82%. Nos últimos 12 meses, houve elevação acumulada de 14,12%. De acordo com a Fecomercio-SP, o índice de abril foi influenciado, principalmente, pelo grupo Semiduráveis, que apresentou aumento de 4,30%, ante 1,93% em março. A assessoria econômica da entidade explica que, em virtude da entrada das novas coleções de inverno nas lojas, o setor de vestuário registrou aumento de 6,20% e o de calçados, de 5,62%. Com a chegada do frio, os técnicos informam que há uma tendência da demanda continuar elevada e que a expectativa é de que o setor continue pressionando o índice nos próximos meses. A segunda maior elevação de preços em abril foi registrada entre os itens do grupo Duráveis, com 2,18%, ante 1,47% no mês anterior. Neste grupo, móveis e decorações tiveram aumento de 3,46%. Eletrodomésticos também apresentaram alta, de 1,70%, porém menor do que em março, quando foi de 1,96%. Os destaques deste setor ficaram por conta da linha marrom, com aparelhos de som (5,26%), e da linha branca, com fogão (4,06%). O grupo Não-duráveis contabilizou acréscimo nos preços de 1,78%, ante variação de 1,24% em março. Os maiores aumentos concentraram-se em produtos de limpeza doméstica (2,30%) e farmacêuticos (2,25%). O grupo Comércio Automotivo foi o único que apresentou uma forte desaceleração nos preços. No mês passado, o IPV registrou variação de 0,21%, ante 3,99% em março. Veículos novos subiram 0,38% e autopeças tiveram redução de 1,12%, depois de elevações de 3,66% e 5,45%, respectivamente, em março. O IPV apura as variações de preços de uma cesta de 150 produtos do varejo na Grande São Paulo. A pesquisa abrange 12 segmentos do comércio varejista: eletrodomésticos, móveis e decorações, vestuário e calçados; alimentos, produtos farmacêuticos, de higiene, e limpeza doméstica; veículos novos e autopeças, e materiais de construção. São cotados cerca de oito mil preços, sempre nos mesmos estabelecimentos.

Agencia Estado,

04 Maio 2005 | 17h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.