Gabriela Biló/ Estadão
Gabriela Biló/ Estadão

'Prefiro acreditar na economia brasileira do que nos pessimistas de plantão', diz Guedes

Em evento nesta sexta, ministro disse que a queda de 0,1% do PIB no segundo trimestre foi uma ‘pausa’, e recuperação da economia será em ‘V’

Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2021 | 18h52

BRASÍLIA - O ministro da Economia, Paulo Guedes, argumentou nesta sexta-feira, 3,  que a retração de 0,1% no Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre em relação aos primeiros três meses do ano foi apenas “uma pausa” no crescimento da atividade. Ele voltou a alegar que a economia brasileira teria uma recuperação em “V”.

“O segundo trimestre foi o trimestre mais trágico da pandemia, com maior número de mortes, quando estávamos voltando ao trabalho. Foi uma ligeira pausa, foi basicamente de lado, caiu 0,05%, e arredondaram para 0,1%. Se fosse 0,04%, teria arredondado para zero”, afirmou o ministro, em participação no "Scoop Day”, organizado pelo TC. “ É preciso olhar os demais indicadores. Estamos criando empregos, a arrecadação está vindo forte e temos investimentos contratados.”

Para o ministro, os críticos que dizem que economia parou são os mesmos que previram uma queda de 10% do PIB e duvidaram da volta em “V” da atividade. “Prefiro acreditar na economia brasileira, no desempenho e no vigor que ela tem exibido, do que acreditar em pessimistas de plantão”, disse.

Guedes voltou a dizer que a pandemia revelou 38 milhões de trabalhadores informais, que chamou de “guerreiros da informalidade”. “Era um desemprego disfarçado em massa. Com vacina avançando eles estão retornando ao trabalho e veremos uma aceleração desse emprego informal, além do formal”, completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.