Prefixados registram captação maior

Nessa semana, entre os dias 15/08 e 23/08, os fundos de renda fixa prefixados apresentaram uma significativa captação líquida - R$ 1.487,88 milhões. De acordo com pesquisa de Nívea Vargas, no acumulado do mês, a captação está em R$ 1.802,41 milhões. Os números se destacam, se comparados aos dados dos fundos de renda fixa DI, que acompanham as taxas de juros. No acumulado do mês, os fundos DI registram uma saída R$ 699,22 milhões. A entrada de recursos nos fundos prefixados refletiu a perspectiva do investidor em relação à possibilidade de novos cortes na taxa básica de juros - Selic. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a Selic foi mantida em 16,5% ao ano devido às pressões fracionárias sofridas nas últimas semanas. Porém, caso a expectativa de que esse repique de inflação seja temporário, a tendência, de acordo com os analistas, é de que a taxa de juros continue caindo até o final do ano.Nesse caso, os fundos de renda fixa prefixados devem ter uma rentabilidade superior a dos fundos DI. O quanto o investidor, de fato, ganhará a mais nessa comparação vai depender do vencimento dos papéis que compõem a carteira do fundo de renda fixa prefixado, ou seja, o que os analistas do mercado chamam de "duration" do papel. Fundo de ações perderam recursos nessa semanaOs fundos de ações registraram perda de R$ 71,55 milhões entre os dias 15/08 e 23/08. Até o dia 15 de agosto, a captação líquida acumulada no mês era R$ 47,34 milhões. Porém dados até o dia 23 de agosto registram perda de R$ 24,21 milhões no mesmo período segundo dados da Anbid.

Agencia Estado,

28 de agosto de 2000 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.