Hélvio Romero|Estadão
Hélvio Romero|Estadão

Prejuízo da B2W chega a R$ 111,8 milhões no segundo trimestre, queda de 5,5%

Dona das marcas Americanas, Submarino e Shoptime também registrou perdas no acumulado dos seis primeiros meses do ano

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2017 | 21h05

A companhia de comércio eletrônico B2W registrou prejuízo líquido de R$ 111,8 milhões no segundo trimestre de 2017, perda 5,5% mais elevada que a registrada em igual período do ano passado. No acumulado dos seis primeiros meses de 2017, o prejuízo da B2W chega a R$ 288,6 milhões, montante 20,9% maior que o prejuízo dos mesmos meses de 2016.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da companhia atingiu R$ 136,6 milhões entre abril e junho, queda de 14% na comparação anual. Em seis meses, o Ebitda chega a R$ 245,6 milhões, recuo de 14,2%.

A receita líquida da B2W chegou a R$ 1,638 bilhão no segundo trimestre deste ano, um recuo de 7,9% ante igual período do ano anterior. Em seis meses, a receita é de R$ 3,239 milhões, queda de 7,7%.

Valor de mercadorias. A B2W reportou crescimento de 10,1% no segundo trimestre de 2017 no indicador de valor bruto de mercadorias (GMV), que considera produtos vendidos por terceiros na operação de marketplace. A companhia registrou GMV de R$ 2,75 bilhões entre abril e junho deste ano ante R$ 2,5 nos mesmos meses de 2016.

O marketplace, modelo de negócios em que outros varejistas pagam uma comissão para utilizar as plataformas de e-commerce da B2W, passou a representar 26,3% das vendas. Essa participação era de 25,5% no ano passado.

A companhia informou em sua divulgação de resultados que intensificou o processo de migração para o modelo de marketplace. A B2W tem deixado de vender algumas categorias de produtos diretamente aos clientes finais e privilegiado a operação junto a outros varejistas. Segundo a B2W, o marketplace deve chegar a representar 30% das vendas até o final deste ano.

A companhia ainda informou que sua participação no mercado de comércio eletrônico brasileiro cresceu na comparação anual. Com base em dados da empresa especializada Ebit, a B2W afirmou que chegou a 26,3% de fatia de mercado no segundo trimestre de 2017 ante um porcentual de 25,5% nos mesmos meses de 2016.

Mais conteúdo sobre:
B2w

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.