coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Prejuízo da Globocabo cai 58,6% no primeiro trimestre

A Globocabo, cuja nova denominação social é Net Serviços de Comunicação, registrou prejuízo líquido de R$ 83,254 milhões no primeiro trimestre deste ano, com queda de 58,6% frente ao mesmo intervalo de 2001. Em 31 de março passado, o patrimônio líquido da empresa estava negativo em R$ 75,506 milhões. O prejuízo por ação fechou em R$ 0,03. A receita líquida cresceu 2,5% no período, para R$ 286,660 milhões.A perda financeira líquida caiu 56,2%, totalizando R$ 71,851 milhões. Os custos operacionais alcançaram R$ 162,020 milhões, volume 9,5% maior em relação ao primeiro trimestre do ano passado. As despesas com vendas, gerais e administrativas recuaram 18%, para R$ 53,906 milhões. O prejuízo operacional foi de R$ 6,892 milhões, com baixa de 83,8%.Ebitda cresce 7,2%A geração operacional de caixa da Globocabo, medida pelo Ebitda, totalizou R$ 70,734 milhões no primeiro trimestre do ano. O volume aumentou 7,2% frente a igual período de 2001, quando foi de R$ 65,962 milhões. A margem Ebitda avançou de 23,6% para 24,7% no intervalo. O endividamento líquido não sofreu alteração significativa de dezembro até o final de março passado, passando de R$ 1,521 bilhão para R$ 1,519 bilhão."A desvalorização de apenas 0,14% no real frente ao dólar e a ausência de captações ou amortizações significativas explicam essa estabilidade", disse a companhia. Na comparação com o primeiro trimestre de 2001, a dívida líquida recuou 3,9%.

Agencia Estado,

16 de maio de 2002 | 09h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.