Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Prejuízo de empresas de Eike supera R$ 1 bi em 2011, diz Economática

Levantamento mostra que 2011 foi o pior ano para as empresas de Eike, já que o maior prejuízo que o grupo tinha registrado até então havia sido de R$ 448 mi

Olívia Bulla, da Agência Estado,

28 de março de 2012 | 11h06

As companhias do empresário Eike Batista amargaram, juntas, um prejuízo de R$ 1,02 bilhão em 2011, segundo levantamento feito pela Economatica, que levou em conta a soma dos resultados financeiros das empresas de capital aberto do Grupo EBX em 2011. No ano passado, apenas a OSX Brasil registrou lucro líquido, de R$ 7,6 milhões, enquanto encerram o período com perdas LLX Logística (-R$ 39,4 milhões), MMX Mineração (-R$ 19,3 milhões), MPX Energia (-R$ 408,6 milhões), OGX Petróleo (-R$ 482,2 milhões) e PortX (-R$ 78,9 milhões).

Ainda de acordo com o levantamento da Economatica, 2011 foi o pior ano para as "empresas X", já que o maior prejuízo que o grupo tinha registrado até então havia sido em 2010, totalizando perdas de R$ 448 milhões.

Em contrapartida, o único ano em que as companhias de Eike Batista registraram lucro líquido, juntas, foi em 2007, quando apenas LLX Logística, MMX Mineração, MPX Energia e OGX Petróleo tinham capital aberto e eram listadas na Bolsa de Valores. Naquele ano, essas empresas registraram lucro acumulado de R$ 825,1 milhões.

Atualmente, existem seis empresas do Grupo EBX listadas na Bovespa. A primeira empresa a ser negociada na Bolsa foi a MMX Mineração, em 2006. No ano de estreia dos negócios com ações, a mineradora registrou prejuízo de R$ 92,1 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
EikeprejuízoEconomática

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.