Premiê diz que Itália não pode deixar de presidir UE

O primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, afirmou hoje que o governo do país precisa se manter unido porque o ano de 2014 será "histórico para a Europa", de acordo com informações da agência de notícias Ansa. Segundo ele, seria um "paradoxo" se a Itália perdesse a oportunidade de presidir a União Europa, o que ocorrerá a partir de julho do ano que vem.

AE, Agencia Estado

21 de agosto de 2013 | 08h41

Quando a Itália assumiu a presidência "coisas fundamentais para a Europa sempre aconteceram", disse Letta.

O premiê também afirmou que o acordo da UE por uma união bancária "é algo sem volta" e frisou que a decisão agora deve ser implementada "para evitar que os contribuintes europeus paguem o preço dos erros cometidos por bancos".

Tudo o que sabemos sobre:
itáliaunião europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.