Premiê do Japão visita Oriente Médio em busca de energia

A segurança energética é o tema mais importante da visita do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, ao Oriente Médio neste domingo, 29, no segundo dia da viagem para melhorar a imagem do país asiático na região que fornece a maior parte do petróleo consumido pelos japoneses. O Japão, que tem a segunda maior economia do mundo, depende do Oriente Médio para quase 90% do petróleo consumido, e autoridades manifestaram preocupação em garantir suas fontes, frente à crescente concorrência da China e da Índia, que crescem rapidamente. Pouco depois da chegada de Abe à capital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi, autoridades japonesas disseram que o Banco do Japão para Cooperação Internacional (JBIC) deverá ampliar em cerca de 1 bilhão de dólares os empréstimos a juros baixos para a firma estatal de petróleo Abu Dhabi National Oil Co. (ADNOC, em inglês). O presidente do JBIC, Kyosuke Shinozawa, que faz parte da missão econômica que acompanha Abe na visita a cinco países, deverá fazer um acordo com a ADNOC ainda neste domingo, disseram autoridades. Não havia confirmação dos detalhes, mas o jornal japonês Asahi Shimbun informou que a ADNOC fará um contrato de fornecimento de longo prazo para empresas de petróleo do Japão, possivelmente de até 10 anos. "É basicamente um esquema para contratos de longo prazo", disse uma das autoridades. Parceria No sábado, Abe encontrou-se com o rei Abdullah da Arábia Saudita. Os líderes concordaram em aumentar a parceria econômica e estratégica. "O maior desenvolvimento das relações econômicas é a principal força na direção do desenvolvimento das relações estratégicas entre a Arábia Saudita e o Japão", segundo um comunicado distribuído depois da reunião. Abe vem repetindo que o principal objetivo da visita é construir relações "multilaterais" com países do Oriente Médio, mas o petróleo é claramente uma prioridade. Autoridades disseram na semana passada que o Japão pretende concluir um acordo de livre comércio com seis países produtores de petróleo do Oriente Médio, incluindo Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, até 2008, e que o ministro do Comércio japonês, Akira Amari, visitará a Arábia Saudita a partir de 1º de maio. "Quero construir um novo relacionamento para o Japão no Oriente Médio, e um relacionamento mais forte com a Arábia Saudita, líder do Golfo, é essencial", disse Abe em um seminário de empresários no sábado. "O principal é o petróleo, mas a partir de hoje temos que ampliar nossa parceria e isso beneficiará nossas nações." Uma delegação de 175 empresários japoneses, de diversas áreas, não somente do petróleo, acompanha Abe na viagem. Abe irá ao Kuweit e ao Egito antes de voltar para o Japão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.