Premiê grego se reúne com líderes europeus para discutir resgate

Encontros acontecem no momento em que inspetores internacionais decidem sobre pagamento de empréstimo ao país.

BBC Brasil, BBC

30 de setembro de 2011 | 05h15

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, se reúne nesta sexta-feira com líderes europeus, enquanto as negociações sobre o pagamento da próxima parcela do empréstimo internacional ao país continuam em Atenas.

Papandreou se encontra com o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, em Varsóvia, antes de viajar a Paris para conversas com o presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Segundo analistas, o premiê grego tenta convencer os líderes de que seu país tem condições de implementar o duro programa de cortes de gastos e aumento de impostos exigido de credores internacionais para tentar equilibrar as contas do país.

As reformas levaram a protestos nas ruas da capital esta semana, já que muitos gregos acham que elas causarão uma recessão ainda maior.

Mas as medidas foram uma exigência da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu e do FMI para garantir o pagamento da parcela de 8 bilhões de euros (R$ 20 bilhões), que visa impedir que a Grécia tenha de decretar a moratória.

Inspetores internacionais continuam em Atenas para avaliar o progresso grego no controle de seus níveis de endividamento.

Plano franco-alemão

O presidente Sarkozy disse que, após o encontro com Papandreou, vai anunciar uma estratégia franco-alemã para apoiar países endividados.

A França e a Alemanha juntas representam cerca de metade da economia da zona do euro, formada por 17 países.

"É muito importante que o eixo franco-alemão seja ouvido sobre a implementação concreta das decisões tomadas no fim de julho (sobre um segundo pacote de ajuda financeira à Grécia)", disse Sarkozy.

Desde a decisão de oferecer um segundo pacote ao país, o governo grego teve dificuldade de atingir suas metas no combate ao déficit orçamentário, aumentando os temores de moratória.

Na quinta-feira, o parlamento alemão aprovou a ampliação do fundo de auxílio destinado aos países da zona do euro, conhecido como Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), decisão que foi bem recebida em Atenas.

O presidente Sarkozy também parabenizou a chanceler alemã, Angela Merkel, dizendo que a aprovação é um passo essencial para a estabilização da zona do euro.

Apesar disso, muitos analistas acreditam que a estratégia de ajuda à Grécia precisa de ajustes urgentes, em parte porque o contágio da crise da dívida já não seria mais apenas uma ameaça para outros países do grupo, mas uma realidade. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.