Premiê grego se reunirá com partidos de coalizão para debater cortes

Reunião ocorre em momento decisivo para a avaliação do progresso das reformas no país e sua confiabilidade para receber a nova tranche do pacote de ajuda 

Clarissa Mangueira e Priscila Arone, da Agência Estado,

19 de setembro de 2012 | 15h51

ATENAS - O primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, se reunirá com dois parceiros da coalizão governamental amanhã, 20, para finalizar bilhões de euros em cortes de gastos que o país prometeu a seus credores internacionais, disse o gabinete do premiê. Samaras se reunirá com os líderes do Partido Socialista, Evangelos Venizelos, e do Partido Democrata, Fotis Kouvelis, às 7h (de Brasília).

A reunião ocorre em um momento, no qual representantes da Comissão Europeia, do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Central Europeu (BCE), grupo conhecido como troica, estão em Atenas para avaliar o progresso das reformas do país e sua elegibilidade para receber a próxima tranche de um prometido pacote de resgate de 173 bilhões de euros (US$ 226 bilhões) de credores internacionais e europeus.

Os planos da Grécia para cortar cerca de 13,5 bilhões de euros do orçamento nos próximos dois anos a fim de cumprir as metas de déficit em 2013 e 2014 são essenciais para a avaliação.

Se os inspetores aprovarem os cortes e outras reformas mais recentes, a Grécia receberá uma parcela de 31,5 bilhões de euros da ajuda em outubro. O relatório, que deverá ser entregue antes de uma reunião dos ministros das Finanças europeus no dia 8 de outubro, também vai desempenhar um papel fundamental para determinar se a Grécia é capaz de ganhar uma cobiçada extensão de dois anos no cumprimento das metas de déficit orçamentário.

O governo grego e a troica reduziram suas diferenças sobre um pacote de resgate de vários bilhões de euros em cortes orçamentários que Atenas deve colocar em ação para atender suas obrigações da dívida, afirmou um funcionário do Ministério de Finanças da Grécia nesta quarta-feira.

As conversações sobre o pacote de 13,5 bilhões de euros (US$ 17,65 bilhões) acontecem desde o início de setembro e estão no centro dos esforços gregos para assegurar a próxima parcela de ajuda prometida pela troica sob os termos de um resgate de 173 bilhões de euros acertado no início deste ano.

Na semana passada, a troica aprovou cerca de metade dos cortes orçamentários planejados - que incluem cortes em pagamentos previdenciários, aposentadorias e salários do setor público. A Grécia espera concluir o acordo nos próximos dias mas, segundo a fonte, cortes de cerca de 2 bilhões de euros das medidas ainda não foram definidos. "A questão foi reduzida para cerca de 2 bilhões de euros", disse o funcionário ministerial.

Cortes

Segundo um rascunho anterior do programa de austeridade, ao qual a Dow Jones teve acesso, os cortes devem incluir 4,8 bilhões de euros em reduções de aposentadorias e benefícios previdenciários; um corte de 1,5 bilhão de euros em gastos com saúde e uma redução de 1,5 bilhão de euros da folha de pagamento do setor público, entre outros cortes.

Mas, como a troica duvida que a Grécia vá atingir as metas de cortes, o grupo pressiona Atenas a aceitar um corte adicional de 2 bilhões de euros em aposentadorias e na folha de pagamento do setor público e está usando a Grécia para elevar a idade de aposentadoria dos 65 anos atuais para 67, para aliviar o déficit do sistema previdenciário do país.

Se os inspetores aprovarem os cortes e outras reformas, a Grécia vai receber 31,5 bilhões no próximo mês. O relatório dos inspetores será apresentado durante a reunião de ministros de Finanças da União Europeia (UE), em 8 de outubro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacortessamaras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.