Premiê japonês diz que reconstrução do país vai exigir nova emissão de bônus

‘Nós provavelmente vamos precisar de um volume significativamente grande de fundos para o segundo orçamento suplementar’, afirmou a autoridade 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

25 de abril de 2011 | 09h11

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, afirmou que seu governo vai emitir novos bônus para financiar um planejado segundo orçamento extra para reconstruir áreas afetadas pelo terremoto de março. Com isso, a grande dívida pública do governo deverá aumentar.

"Nós provavelmente vamos precisar de um volume significativamente grande de fundos para o segundo orçamento suplementar, portanto de qualquer forma vamos precisar emitir bônus do governo, os chamados bônus de reconstrução", disse Kan durante uma sessão do Parlamento. Kan também afirmou que é importante que seu governo esclareça como pretende pagar a dívida adicional de modo a manter a confiança internacional na capacidade do Japão de lidar com suas finanças.

Hoje o vice-ministro de Finanças japonês, Fumihiko Igarashi, disse que não se opõe à emissão de bônus. "Eu não descartaria o uso de bônus do governo" nos esforços nacionais dos próximos meses para reconstruir a região nordeste do país. No entanto, Igarashi acrescentou que aumentos de impostos adicionais são "inevitáveis" para o pagamento da dívida do governo. As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.