Preocupação com clima sustenta o trigo na Bolsa de Chicago

Cenário: Filipe Domingues

O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2012 | 03h10

Os preços do trigo voltaram a subir na Bolsa de Chicago. Participantes do mercado que vinham apostando na queda dos preços, com base numa avaliação de que haveria maior oferta do cereal no mundo, passaram a comprar contratos da commodity depois que receberam notícias vindas da Rússia e da Austrália. Há relatos de que o clima desfavorável para as lavouras pode reduzir as colheitas. Até então a preocupação era apenas com o clima seco nos Estados Unidos, que ameaçava o desenvolvimento da soja e do milho. Agora, mapas climáticos parecem sinalizar maior possibilidade de chuvas favoráveis no Meio-Oeste do país.

Os contratos do trigo para entrega em julho fecharam em alta de 2,23%, cotados a US$ 6,64 por bushel. O mesmo vencimento do milho fechou em baixa de 0,12%. Já a soja subiu 0,89%, sustentada por compras de investidores que, apesar da perspectiva de clima mais favorável, ainda questionam se o volume das chuvas será suficiente. Os Estados em situação mais crítica atualmente são Illinois e Indiana.

Na Bolsa de Nova York, alguns mercados encerraram a quarta-feira com baixas expressivas, pois especuladores embolsaram lucros obtidos na véspera. O algodão, por exemplo, havia saltado 6,03% na terça-feira e ontem fechou em baixa de 5,47%. O café caiu 3,74% ontem, e anteontem havia subido 4,71%. Este último mercado está preso a um intervalo de preços, pois produtores seguram a oferta à espera de cotações mais elevadas e as torrefadores não compram, esperando movimento oposto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.