Preocupação com economia faz preços dos grãos recuarem

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 03h08

Os preços dos grãos voltaram a cair ontem na Bolsa de Chicago. A preocupação com a economia europeia impulsionou o dólar, o que pressionou os contratos da maioria das commodities agrícolas. A maior queda foi no milho, que se encontra em fase de colheita nos Estados Unidos. O contrato para entrega em dezembro recuou 2,55% na Bolsa de Chicago, fechando a US$ 7,2475 por bushel. A soja caiu 2,39%, também influenciada pelo avanço da colheita americana e pelas boas perspectivas de plantio no Brasil. Já o trigo recuou 1,95%, com a falta de competitividade do produto americano no mercado internacional. Ontem, o Egito, maior consumidor mundial, anunciou a compra de 300 mil toneladas de trigo da Romênia e da França.

O pessimismo no mercado de ações com a evolução da crise na Europa deixou o dólar mais forte e as commodities agrícolas mais caras para os compradores internacionais. Investidores e fundos liquidaram posições buscando ao mesmo tempo reduzir a exposição ao risco após as altas recordes dos grãos nos últimos meses e antes do relatório de estoques do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado na sexta-feira. Aspectos gráficos baixistas desencadearam mais vendas, acentuando as perdas.

As commodities agrícolas negociadas em Nova York também terminaram em queda. O algodão caiu 1,81%, com o peso da desaceleração da economia global, que geralmente reduz a demanda por produtos que não são de primeira necessidade. O café recuou 2,42%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.