Preparar mão-de-obra custará R$ 5,1 bi à construção civil

O preço que o Brasil terá de pagar para resolver a falta de mão-de-obra na construção civil de edificações chega a R$ 5,1 bilhões. Esse é o custo estimado para a geração de vagas em cursos de capacitação e na certificação de trabalhadores. As conclusões são de uma pesquisa feita pelo Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) e encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), a qual o jornal O Estado de S.Paulo teve acesso. A retomada dos investimentos na construção civil, que este ano receberá mais de R$ 23 bilhões, mostrou um abismo entre a oferta de vagas e a necessidade real de formação.O trabalho levantou iniciativas privadas e públicas para formação (da mais simples à mais completa) e descobriu que o País precisa multiplicar por mais de 13 vezes a oferta. O número de vagas disponíveis em cerca de 20 iniciativas públicas e privadas chegou a 617 mil matrículas nos últimos cinco anos. Segundo o estudo da Poli, a demanda atual - sem considerar a expansão do setor da construção - é de 8,4 milhões de matrículas, seja para garantir a alfabetização, seja para qualificação e certificação profissional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.