Preservação será um dos benefícios

Parte da produção de tilápias da Aprotipa, em Paranapanema, será usada na merenda escolar em municípios da região. O projeto prevê a recuperação ambiental do entorno da represa, que já perdeu parte da mata ciliar devido à ocupação imobiliária. Entre os sócios há estudantes de medicina veterinária e de ciências biológicas.

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2011 | 00h00

A associação quer ampliar o número de sócios para se transformar em cooperativa e aumentar a produção. "Queremos criar um parque aquícola com novos confinamentos e chegar a 950 tanques", disse o piscicultor Sidney Araújo Camargo, funcionário público e também sócio da Aprotipa. Os conjuntos serão distribuídos de forma a não prejudicar o uso das águas da represa para outras atividades, como o lazer e o turismo.

Pesca pedratória. Ele acha que a piscicultura vai contribuir para eliminar a pesca predatória, um dos graves problemas ambientais do manancial. "Queremos trazer esses pescadores para trabalhar com a gente", diz Camargo.

Ele vê a piscicultura também como uma opção para ampliar a renda do pequeno produtor rural do município. A agricultura familiar, incluindo a produção de frutas e a criação de gado leiteiro, estão na base da economia de Paranapanema. "Dedicando algumas horas diárias à piscicultura, o pequeno produtor pode dobrar sua renda", disse.

Controle da água. O projeto prevê um controle rigoroso da qualidade da água, que o piscicultor considera o maior patrimônio da região. Antes da instalação dos tanques-rede foram coletadas e analisadas amostras para uma comparação posterior.

Mais informações

APROTIPA, TEL. (0--14) 3713-1211

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.