Presidente argentino queixa-se da Petrobras, diz ´Clarín´

A reunião do presidente da Argentina, Néstor Kirchner, com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, em Buenos Aires, "pôs à prova o músculo da aliança estratégica com o governo Lula", afirma o jornal argentino Clarín. Os dois reuniram-se na segunda-feira na Casa Rosada. Segundo o diário, "sem muito rodeio de palavras, Kirchner apresentou de cara sua preocupação mais imediata com o Brasil: seu descontentamento com a Petrobras na Argentina". Fontes não identificadas do Clarín disseram que Kirchner teria dito que a Petrobras mantinha "uma política empresarial oposta aos objetivos estratégicos consentidos com o Brasil"."Ante um Amorim bastante surpreendido", escreve o jornal, o presidente disse que a empresa era "irresponsável na liquidação de ações sem fazer investimentos na prospecção" e que "não teve liderança na tarefa de ampliar a rede de transporte de gás do sul". Kirchner referia-se aos planos de ampliação do gasoduto no sul do país.De acordo com o Clarín, Amorim comprometeu-se a "fazer tudo o que está a seu alcance" para resolver a situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.