Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Presidente da Airbus quer 4 meses para fazer reestruturação

O presidente do fabricante aeronáutico europeu Airbus, Christian Streiff, se deu um prazo de quatro meses para fechar seu plano de reestruturação da empresa, segundo o semanário "Le Journal du Dimanche".A crise que afeta a Airbus devido ao atraso de dois anos em seu programa do avião A380 e aos problemas que rodeiam o avião militar A400M será abordada pelo presidente francês, Jacques Chirac, e a chanceler alemã, Angela Merkel, na próxima quinta-feira, em Paris, durante uma cúpula franco-alemã.O ponto mais sensível é a racionalização da parte mecânica e industrial da Airbus. Streiff deve visitar as 16 fábricas do grupo, das quais sete estão na Alemanha, quatro na França, três na Espanha e duas no Reino Unido.Os lugares menos rentáveis poderiam ser fechados ou cedidos a contratantes, afirma o jornal.Streiff também quer "especializar as fábricas de montagem" de Toulouse (França) e de Hamburgo (Alemanha), o que gera inquietação nas duas cidades. A Airbus emprega 57 mil pessoas, das quais 21.400 estão na França e 19.968, na Alemanha.Para evitar a desmotivação dos trabalhadores, Streiff prometeu que os esforços de seu plano de reestruturação serão distribuídos de forma equitativa entre os diferentes países. Batizado de "Power 8", o plano prevê uma redução de custo de 2,1 bilhões de euros até 2010.Para investigar as responsabilidades no atraso do A380, o consórcio europeu EADS lançou uma análise independente que afetará a cúpula da empresa, afirma o jornal.

Agencia Estado,

08 de outubro de 2006 | 11h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.