Presidente da Amcham apoia postura forte do Brasil na Alca

O presidente da Câmara Americana do Comércio-SP (Amcham-SP), Sergio Haberfeld, elogiou hoje a postura utilizada pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas negociações da Alca. "Se os americanos não cederem, o Brasil também não deve ceder. Uma negociação sempre envolve dois lados", afirmou. Haberfeld afirmou que 60% dos sócios da Amcham-SP são brasileiros e, portanto, a Câmara apoia a condução que o atual governo está dando a estas negociações e criticou o governo anterior. "O governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tratou este assunto de forma bem elitista", disse. Ele destacou ainda que a "única exceção foi com o ex-chanceler Celso Lafer, que abriu as negociações à participação dos empresários brasileiros". Ao elogiar a postura do atual Governo, o presidente da Amcham-SP disse que é muito bom ter um presidente sindicalista na defesa dos interesses do País. "O quadro mudou positivamente, pois hoje temos especialistas em negociações, e sempre é bom trazer os acordos para o chão de fábrica". Brasil faz concessão se outros fizeremA Alca foi um dos temas discutidos entre o ministro Luiz Dulci e os empresários que participaram do encontro de hoje na Amcham-SP. Ao falar sobre este assunto, o ministro disse que o Brasil está disposto a fazer concessões, desde que os outros países, citando especificamente os Estados Unidos, também o façam. "Nossa filosofia é negociar 24 horas por dia, mas sem concessões ingênuas e unilaterais, sem ceder, atendendo prioritariamente os interesses do Brasil", concluiu Dulci.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.